Carlos Agostinho do Rosário diz que é preciso esperar pela investigação da Procuradoria-Geral da República e do auditor forense no esquema de corrupção na LAM e nas dívidas ilegais. O Primeiro-Ministro diz, por outro lado, que a paz é essenc

Enviado em 14/12/2016
|