Afinal Téofilo Nhangumele tinha um contrato de exclusividade com a Privinvest, o que faz cair por terra a sua tese segundo a qual, ele não representava nenhuma parte e que podia receber dinheiro de qualquer lado no processo da criação da ProIndic

Enviado em 27/08/2021
|