Em análise: Três anos do acordo de cessação das hostilidades